Menopausa e problema de memória. Porque isso ocorre e o que você pode fazer.

Menopausa e problemas de memória

Memória fraca, esquecimento de nomes de pessoas, de atores dos seus filmes favoritos, dificuldade de concentração podem causar problemas no trabalho e nos relacionamentos sociais.

E isso pode acontecer na nossa vida agitada e no período da menopausa.

Cerca de 60% das mulheres na menopausa ou Perimenopausa relatam se sentir como se estivessem em uma “névoa cerebral”. É comum sentirem lapsos de memória e concentração durante os estágios inicial e intermediário da menopausa e isso preocupa as mulheres.

Segundo artigo publicado pelo Caderno de Bem-Estar do jornal OESP, acredita-se que as alterações hormonais durante o período da menopausa podem afetar o cérebro e é fundamental exercitá-lo nesse período.

Alguns depoimentos do artigo e estudos recentes reforçam essa crença:

“Aos 51 anos, Jeanne Chung começou a sentir que sua memória estava falhando. “Percebi problemas de memória, como esquecer certas palavras”, diz ela, que é CEO de uma empresa de saúde.

Então, para exercitar seu cérebro, ela começou a fazer jogos de palavras. Sua memória irregular não foi causada por um ferimento na cabeça ou uma doença, foi claramente desencadeada, conta Jeanne, agora com 54 anos, pelas mudanças que acompanham sua transição para a menopausa, uma experiência comum para muitas mulheres, concordam os especialistas.

“Durante a transição para a menopausa, as mulheres podem sentir névoa cerebral ou dificuldades de memória e concentração”, conta Stephanie Faubion, diretora do Penny & Bill George do Centro de Saúde Feminina da Clínica Mayo. Ela afirma que esses sintomas desagradáveis geralmente começam no início dos 40 anos e se arrastam até que seu ciclo menstrual pare com o início da menopausa, geralmente aos 50 anos.

Em um estudo recente, de 2022, os pesquisadores compararam exames cerebrais de ressonância magnética de mulheres na menopausa com os de mulheres na pré-menopausa.

Os resultados revelaram que as mulheres na menopausa tinham mais lesões cerebrais chamadas “hiperintensidades da substância branca” do que aquelas na pré-menopausa.

Embora pareça alarmante, Stephanie informa que os problemas de memória induzidos pela menopausa não aumentam necessariamente o risco de demência da mulher.

“Quando o estrogênio está alto, o cérebro e outros tecidos recebem um banho desse hormônio, que é responsável pela sensibilidade nos seios e problemas de memória.” Essas mudanças hormonais podem causar muitos sintomas, incluindo desafios cognitivos. Segundo Stephanie, os problemas de memória induzidos pela menopausa geralmente se resolvem quando a transição é concluída em uma mulher de 50 anos e não aumentam o risco de demência à medida que envelhece.

Os médicos não sabem ao certo por que a menopausa afeta o cérebro, mas a mudança hormonal é uma provável culpada.

Durante essa mudança na meia-idade, o estrogênio e a progesterona ricocheteiam, ensina Louann Brizendine, professora de psiquiatria da Universidade da Califórnia e autora de The Upgrade: How The Female Brain Gets Stronger And Better In Midlife And Beyond.

Uma vez que os altos e baixos níveis hormonais param, os sintomas geralmente melhoram, acrescentou Louann Brizendine. Mas, mesmo que esses sintomas cerebrais não sejam duradouros, eles ainda podem causar estragos em muitas mulheres e afetar sua sensação de bem-estar.

Amy Beckley, de 42 anos, farmacologista em Boulder, Colorado, anotava mentalmente as tarefas que precisava concluir. “Agora, tenho que anotar tudo”, diz ela. Quando sua memória sofre um “curto-circuito”, Amy esquece as reuniões de trabalho e os itens do supermercado. “É muito frustrante e às vezes faz me sentir estúpida.”

Deslizes de memória frequentes podem fazer com que as mulheres se sintam mal-humoradas e trazer preocupações sobre sua saúde. Mas elas não precisam sofrer em silêncio, diz Anna Glezer, psiquiatra especializada em saúde da mulher em Burlingame, Califórnia.

Seguem algumas maneiras de lidar com problemas cognitivos induzidos pela Perimenopausa ou pela menopausa:

Excluir depressão ou ansiedade

Em alguns casos, dificuldade em encontrar palavras, esquecimento e névoa mental decorrem de distúrbios de humor não tratados, diz Stephanie Faubion.

Por exemplo, estudos mostram que a Perimenopausa pode aumentar o risco de depressão de uma mulher, enquanto a menopausa tornou algumas mais propensas à ansiedade.

A pesquisa também sugere que problemas de memória e depressão podem ocorrer juntos, especialmente na meia-idade.

Juntamente com as preocupações cognitivas, os sinais de depressão podem incluir sentimentos de tristeza, desesperança e irritabilidade. Ao contrário do mau humor, esses sintomas não desaparecem; eles atrapalham a vida no trabalho e em casa, afirma Anna Glezer.

Embora a menopausa seja uma transição de vida para as mulheres, ela não deve ser incapacitante, acrescenta Stephanie. Quando as preocupações de humor resultam em esquecimento e outras dificuldades cognitivas, psicoterapia, medicação e exercícios podem ajudar, diz ela.

Exercite seu cérebro

Embora os problemas de memória da meia-idade sejam estressantes, geralmente não duram para sempre, esclarece Brizendine. “O cérebro feminino pode se tornar mais forte.” A psiquiatra recomenda “hacks corporais para a mente” ou exercícios destinados a ativar partes do cérebro como o cerebelo, que auxiliam na resolução de problemas, julgamento, memória e regulação emocional. Isso pode significar uma caminhada de 10 a 20 minutos, ioga ou mexer os dedos dos pés, o que pode ativar o cerebelo.

Além disso, a pesquisa sugere que brincar pode beneficiar a cognição adulta. Atividades como dançar ou resolver quebra-cabeça podem aguçar a mente.

Substitua a narrativa negativa

A menopausa é muitas vezes referida como “puberdade ao contrário” ou “TPM constante”, explica Brizendine.

Infelizmente, essa conotação negativa faz com que algumas mulheres evitem revelar suas lutas. Uma maneira de mudar essa narrativa negativa é reformular a experiência. Ela encoraja as mulheres a ver essa fase da vida como uma época em que a criatividade e a vitalidade são renovadas.

Então, em vez de ruminar sobre o que perdeu, a mulher de 54 anos se concentra no que está indo bem. Por exemplo, se ela se sente mal com a aparência, diz a si mesma: “Mesmo que meu corpo agora não seja como era aos 30 anos, ainda é muito bom”.

Apoio é importante

Falhas de memória, como não acompanhar conversas ou lembrar o nome de um colega, podem ser embaraçosas, levando algumas mulheres a se afastar da vida social.

Compartilhe seus sentimentos com entes queridos ou amigas que também estejam passando pelo mesmo momento de vida.  Pode ajudar a criar a resiliência emocional necessária para esse período.

Em nosso site, temos algumas entrevistas sobre Menopausa, O que é e Tratamentos, com a Dra. Dra. Claudia Takano, Médica Ginecologista e Obstetra com Graduação, Mestrado e Doutorado pela Escola Paulista de Medicina/ Unifesp. Preceptora do Ambulatório de Uroginecologia, Coordenadora do Ambulatório de Malformações Genitais da Unifesp e Preceptora dos alunos da graduação do curso de medicina e da residência em Ginecologia- Unifesp.

Abaixo os links para os vídeos:

 

A idade do poder

Segundo Marcia De Lucca, professora de Yoga, meditação e Ayurveda, autora do livro do mesmo nome, a menopausa traz a meia-idade que é a fase ideal para a mulher transformar tudo aquilo que era puro potencial em poder pleno. É a oportunidade de reunir sabedoria acumulada e colocar esse repertório a serviço do próprio bem-estar e da própria evolução!

Um brinde à nossa maturidade!

Se quiser saber mais sobre esse e outros temas para as Mulheres 50+ interessadas, conectadas e curiosas:

  • inscreva-se no nosso Canal do Youtube, dê um like e ative o sininho para receber as notificações de novos vídeos!
  • continue acompanhando o nosso site
  • siga nossas páginas no Instagram e Facebook.

Venha viver a revolução da longevidade com a gente interagindo e sugerindo conteúdos que vocês gostariam de ver em nossos canais!

Um abraço!

Time Estilo 5.0+

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *