Quer envelhecer com seus amigos? Saiba mais sobre cohousing e coliving

Quer envelhecer com seus amigos-Saiba mais sobre cohousing e coliving

O crescimento da urbanização, o alto preço das moradias e a busca por um estilo de vida menos solitário e participativo, fez surgir dois novos estilos de moradia: cohousing e coliving.

Cohousing e coliving são estilos de moradia em que as pessoas têm seu espaço privado, mas compartilham algumas áreas com outros residentes.

São moradias coletivas para quem quer manter uma vida ativa, saudável e independente e é o sonho de muitas pessoas a partir dos 50+.

A proposta de moradia compartilhada surgiu em 1972 na Dinamarca, com a construção do primeiro edifício de moradia compartilhada nomeado Saettedammen (A represa de habitação).

No imóvel, 35 famílias possuíam suas moradias privadas e compartilhavam os espaços de convivência, além de outras atividades incentivadas como festas, eventos e até mesmo refeições em comunidade, com o objetivo de estimular a convivência em grupo.

O sucesso dessa proposta foi tão grande que poucos anos depois, este conceito acabou se espalhando para outros países.

E qual a diferença entre Cohousing e Coliving?

Cohousing

Modelo de moradia compartilhada com o objetivo de se criar uma comunidade intencional.

No cohousing, as pessoas moram em um mesmo terreno ou área. Cada morador tem sua casa completa, mas divide espaços públicos internos e externos – como jardim, cozinha comunitária, área de lazer etc.

Características do Cohousing:

  • Arquitetura: as casas são construídas pensando em proporcionar uma maior proximidade entre as pessoas. Normalmente, uma vila de cohousing possui entre 20 e 40 casas, de frente umas para as outras e sem muros as separando;
  • Casa própria: cada morador possui sua casa individual;
  • Vida conjunta: todas as outras tarefas como cozinhar e lavar roupas, ou até mesmo atividades de lazer são realizadas em espaços compartilhados do terreno.

Além dessas, a questão ambiental é extremamente valorizada pelo cohousing. Este modelo de moradia compartilhada busca incentivar um estilo de vida sustentável, como por exemplo promover o uso de transporte coletivo ou bicicletas ao invés de carros particulares.

Coliving

No coliving as pessoas moram na mesma casa ou prédio e cada uma tem seus ambientes individuais (quarto, banheiro etc.), mas divide alguns recursos e espaços comuns – tais como cozinha, sala de estar, escritório entre outros.

Essa moradia compartilhada geralmente oferece um pacote com serviços e diferenciais inclusos. Desde lavanderia e provedor de internet, até espaços com móveis e decoração, prontos para morar.

O coliving é um modelo de moradia compartilhada cuja proposta é fazer com que as pessoas morem em um mesmo prédio ou casa, mas cada um com seu espaço individual.

Por isso, podemos dizer que os principais fundamentos deste modelo de moradia são:

  • Aproximar as pessoas visando a troca de experiências;
  • Pensar no consumo focado na colaboração entre os inquilinos;
  • Divisão de decisões e tarefas;
  • Ter quartos privativos com o compartilhamento das áreas comuns.

Cohousing Sênior – Moradias coletivas para os 50+

Envelhecer tendo os seus amigos como vizinhos, e poder contar com eles no que for preciso em uma comunidade intencional, é possível, e é um jeito de morar que já virou realidade em muitos países.

“O cohousing-sênior é reconhecido como um projeto de engenharia social, que tem por objetivo promover a qualidade de vida e a saúde dos moradores, por meio da maximização da interação social, da participação, da solidariedade e do apoio mútuo, da cidadania ativa e do respeito ao meio ambiente”. (https://www.maturi.com.br/blog/cohousing)

Importante destacar que não se trata de residenciais para idosos, mas de uma “comunidade residencial intencional, construída pelos próprios moradores”, conforme define Charles Durrett, arquiteto americano que mais estudou as características das comunidades cohousing dinamarquesas. O arquiteto projetou e acompanhou a construção de quase 60 comunidades cohousing nos Estados Unidos e no Canadá.

Vida em comunidade afasta a solidão

Movimentos como esses são uma resposta para o isolamento causado pela vida moderna. Ao invés de viverem afastadas, trancadas e sozinhas, muitas pessoas veem na moradia compartilhada uma forma de ter acesso a um estilo de vida com mais interação social, com vizinhos/amigos próximos com os quais elas podem contar no dia a dia.

Viver com seu grupo de amigos favorito, todos acima de 50 anos, que a medida em envelhecem e muitos com mobilidade reduzida, continuam próximos uns dos outros vivendo e convivendo em espaços pensados por eles e para eles. Um bom projeto de vida!

Iniciativas no Brasil

ConViver:

Cohousingsênior Vila ConViver, é uma proposta de comunidade intencional para professores, no bairro Jardim Alto da Cidade Universitária, em Barão Geraldo, Campinas. Destinada para docentes da UNICAMP aposentados ou com mais de 50 anos em vias de se aposentar.

Cohousing Brasil – Co-Lares – Atibaia –

VIVERXXI – Granja Viana

ViverXXI: seis casas num lote de 8 mil m² na Granja Viana, nos arredores da capital paulista.

Matture Home lifeSão Paulo – Zona Sul – Chácara Inglesa.

Construtora Matushita: https://matushita.com.br/residenciais

Empreendimento inovador no conceito Aging-in-place. Aptos com 104m2 ou 52m2.

João Pessoa

Em João Pessoa e em mais cinco municípios da Paraíba, o governo estadual implantou o projeto Cidade Madura, que é um conjunto de habitações populares (Minha Casa, Minha Vida) adaptadas e com serviços voltados exclusivamente para a comunidade idosa local.

Porto Alegre: Projeto da Cyrela- Vintage Sênior Residence.

Curitiba – projeto da Construtora Laguna

Coliving: alternativa também para os jovens Millenials.

Em alguns países, o conceito de moradia compartilhada também é bastante vantajoso para jovens que querem sair da casa dos pais, ainda não têm recursos para isso e querem ter os amigos por perto.

Pensando nisso, em Londres surgiu o maior Coliving do mundo.

O empreendimento tem 10 andares e atualmente mais de 500 moradores dividem seus espaços coletivos – cozinhas comunitárias, coworking, salas de jantar, biblioteca, sala de cinema, academia, lavanderia, restaurante, loja de conveniência e spa.

Confira no vídeo abaixo:

Conheça o maior Coliving do mundo, em Londres- 02:35

 

Cohousing- sênior: para a geração Babyboomers

O conceito de Cohousing-sênior atende perfeitamente as ansiedades da geração baby boomer, nascida pós-segunda Guerra Mundial e parte dela libertária e progressista, que sempre questionou o papel da mulher e os direitos das comunidades menos favorecidas da diversidade.

Essa geração de maduros quer ficar independente dos filhos ou de uma casa de repouso para idosos e viver a longevidade com alegria e plenitude!

Se quiser saber mais sobre outros temas para as Mulheres 50+ interessadas, conectadas e curiosas:

  • inscreva-se no nosso Canal do Youtube, dê um like e ative o sininho para receber as notificações de novos vídeos!
  • continue acompanhando o nosso site
  • siga nossas páginas no Instagram e Facebook.

Um abraço!

Time Estilo 5.0+

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *