Cheguei ao 60. E agora? Bora viver bem!

Cheguei aos 60 e agora - bora viver bem

A gente preparou este Blogpost para inspirar de maneira positiva quem está chegando ou chegou aos 60 anos.

Chegar aos 60 anos é como alcançar o topo de uma montanha depois de uma longa jornada. É um momento para celebrar as conquistas, os aprendizados e as experiências vividas. É também um momento para refletir sobre o que ainda está por vir e para se abrir para novas possibilidades.

Nessa fase da vida, muitas mulheres se encontram mais seguras, mais experientes e mais confiantes do que nunca. É um momento para se libertar das preocupações com a educação dos filhos, de caber no vestido tamanho 38 ou com o que os outros pensam e focar em ser realmente você mesma.

É hora de se permitir fazer o que realmente ama, sem se preocupar com o julgamento alheio.

Aos 60 anos, você tem a oportunidade de se reinventar, de explorar novos hobbies, de viajar para lugares que sempre quis conhecer e de passar mais tempo com as pessoas que ama.

É claro que nem tudo são flores. A idade traz consigo alguns desafios, como questões de saúde e mudanças no corpo. Mas com uma atitude positiva e a busca por um estilo de vida saudável, é possível enfrentar esses desafios de frente e continuar aproveitando a vida ao máximo, com alegria e bom humor.

Hoje chegar aos 60 anos muitas vezes significa um desafio interno. No livro “Cheguei aos 60…e agora” de   Cremilda Mcmillin, ela traz uma perspectiva bem humorada e reflexões sobre a importância do riso, da aceitação e da adaptação às mudanças que acompanham este momento da vida.

Mudanças positivas ao redor do aumento da longevidade mundial

Em recente matéria publicada na revista Negócios que tem na capa o título “Em busca da fonte da juventude”, um dos artigos traz os dados positivos do envelhecimento mundial.

“Junto com os desafios, a longevidade traz uma série de transformações positivas para a sociedade. A primeira é que os idosos estão mais ativos.” O site de relacionamento Coroa Metade, dedicado a pessoas acima dos 40 anos, é um exemplo. Há 11 anos, havia pouca gente com mais de 60 anos.

“Hoje eles são 36% dos usuários” diz o criador do site, Airton Gontow. Isso acontece porque os mais velhos já não têm tanta dificuldade com a tecnologia digital e, desde a pandemia, mais disposição para procurar companhia – inclusive romântica e sexual.

Em termos de políticas públicas, diz a matéria, também têm surgido boas iniciativas em prol da saúde mental e física dos mais velhos. Na Coreia do Sul, uma iniciativa da Hyundai, de uma fundação de Seul e do governo federal para requalificar profissionais a partir da meia-idade, chegou ao índice de 65% de recolocação de idosos no mercado, ante 30% a 40% de programas anteriores.

Na África do Sul, o programa Age Well emprega funcionários seniores para acompanhar e apoiar outros seniores – e atingiu 95% de redução nos sinais de depressão entre seus participantes.

No Brasil, já existem mais de 1,9 milhão de donos de pequenos negócios com mais de 60 anos, 10% do total, conforme dados do IBGE. Também surgiu o fenômeno das seniortechs, startups dedicadas a inovações inclusivas voltadas para a população mais velha.

O primeiro mapeamento, em outubro de 2023, feio pelo InovaHC, do Hospital das Clínicas da USP, detectou 55 iniciativas. A tendência é um aumento significativo, uma vez que produtos e serviços voltados para maiores de 50 anos movimentam R$ 2,1 trilhões por ano no Brasil, de acordo com o IBGE.

Apesar do impacto fiscal do envelhecimento da população, é possível criar um viés positivo para a economia, afirma o economista Andrew J. Scott, professor de London Business School, em artigo para o The Journal of the Economics of Ageing. Segundo ele, o estímulo à poupança eleva o estoque de capital acumulado e é um importante fator a pressionar pela redução das taxas de juros (por haver mais dinheiro disponível), o que incentiva a produção e o consumo.

Dados da OCDE-Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico mostram que companhias com 10% a mais de trabalhadores mais velhos do que a média apresenta produtividade maior.

Talvez isso ocorra porque, segundo a consultoria Mercer, funcionários mais velhos fazem aumentar a produtividade dos que estão à sua volta, pela contribuição de sua experiência.

O autor americano Chip Conley, que já esteve no Brasil para os seminários da Maturi e é favorável a presença de idosos com jovens no mercado de trabalho, as relações intergeracionais e autor do livro Wisdom at Work: The Making of a Modern Elder (“Sabedoria no trabalho: a criação do idoso moderno”- tradução livre), classifica os profissionais mais velhos como “trabalhadores da sabedoria”, um grau acima dos tão falados “trabalhadores do conhecimento”.

Uma boa forma de entender como será a sociedade do futuro é visitar o Japão. Em setembro/2023, a parcela dos seus habitantes com mais de 75 anos passou de 15% e as pessoas com mais de 65 anos chegaram ao recorde de 29%. Há dois anos, a Sociedade Gerontológica do país sugeriu a reclassificação da faixa entre 65 e 74 anos como “pré-idosa”.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divide os idosos em três categorias:

  • os pré-idosos (entre 55 e 64 anos);
  • os idosos jovens (entre 65 e 79 anos);
  • os idosos em idade avançada (com 80 anos ou mais).

No Brasil, as pessoas com 60 anos ou mais já superam 32 milhões ou 15,8% do total da população brasileira, de acordo com o último levantamento do IBGE, baseado no Censo de 2022.

Segundo o prêmio Nobel de medicina, Randy Schekman, a humanidade deveria se concentrar em estender a vida útil e saudável, ao invés de flertar com a eternidade.

E esse é um convite para nós, mulheres maduras. Que tal um plano de vida com atividades excitantes e divertidas para uma longevidade saudável e feliz?

Em artigo publicado no nosso site Estilo 5.0+, mencionamos sobre a pesquisa recente realizada com Mulheres 50+ por Dimas Moura, fundador e criador de conteúdo, sobre o que elas querem nessa etapa da vida, ele identificou alguns anseios:

  • Independência financeira/consciência financeira.
  • Uma vida digna
  • Liberdade para ir e vir
  • Paz, sossego e silêncio
  • Um amor de verdade ou fortalecer o que você já conquistou
  • Viajar pelo Brasil e pelo mundo
  • Trabalhar no que gosta, com propósito e realização
  • Fazer novos amigos que façam sentido neste momento
  • Desfrutar de novas experiências que não foram possíveis no passado
  • Fugir de pessoas negativas e sem expectativas.

Envelhecer pode ser uma oportunidade de crescimento, sabedoria e de ajudarmos a eliminar o estereótipo negativo. Afinal, como menciona sabiamente a escritora Cremilda Mcmillin: “…a idade é apenas um número, e a verdadeira essência da vida está em como a vivemos.”

Vamos fazer o nosso roteiro de felicidade e colocar em prática!

E aproveitar cada momento, cada experiência e cada nova oportunidade que a vida oferece.

Sugestão de leitura – Cheguei aos 60…e agora?: Uma visão bem humorada da chegada da terceira idade

Cheguei aos 60 e agora

onde-comprar


Se quiser saber mais sobre esse e outros temas para as Mulheres 50+ interessadas, conectadas e curiosas:

  • inscreva-se no nosso Canal do Youtube, dê um like e ative o sininho para receber as notificações de novos vídeos!
  • continue acompanhando o nosso site
  • siga nossas páginas no Instagram e Facebook.

Venha participar com a gente da revolução da longevidade, interagindo e sugerindo conteúdos que vocês gostariam de ver em nossos canais!

Um abraço!

Time Estilo 5.0+

Fontes:

https://estilo5ponto0mais.com.br/blog/cinquentou-parabens-bem-vinda-a-idade-do-poder/

https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2023/outubro/brasileiros-com-60-anos-ou-mais-superam-32-milhoes-de-pessoas-mdhc-reforca-importancia-do-cuidado-e-respeito-com-essa-faixa-etaria

https://blog.solides.com.br/idosos-no-mercado-de-trabalho/

https://www.algarveprimeiro.com/d/principais-caracteristicas-de-uma-mulher-madura/45191-87

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *